Alemanha - História de Cada Estado do Império Alemão, 1871-1918

De FamilySearch Wiki
Ir para: navegação, pesquisa

Alemanha Gotoarrow.png Página Inicial

Sinopse histórica de cada Estado no Império Alemão, 1871-1918

Alsace-Lorraine (Elsass-Lothringen)

Originalmente Alsace-Lorraine pertenceu ao império franco de Carlos Magno. Nos séculos XI e XII formou-se o início do estado territorial Zaehringer. Os Zaehringers se originaram na Suábia (Weilheim, Kreis Nurtingen). À medida que eles expandiram seu poder, logo ganharam o controle da Região da Alsácia. Depois que a linha Zaehringer morreu em 1218, o poder foi transferido para os condes de Kiburg no sul e para os condes de Urach, no norte. Essas linhas foram seguidas pela casa de Staufer, que em meados do século XIII também morreu. O fim da casa dos Staufer facilitou a ascensão da casa de Habsburgo. O principal partido de oposição para os Habsburgos em Alsatia veio dos bispos de Estrasburgo e Basiléia. No início do século XV as cidades da Alsácia de Beinheim, Leutenheim, Neuhaeusel e Langenau pertenciam a Baden. Durante a Guerra dos Trinta Anos (1618-1648), Alsace-Lorraine, como a maioria do vale do Rio Reno, sofreu grande destruição e perda de vidas.
Como os Habsburgos voltaram sua atenção para a Áustria e para o leste, no século XV, a França começou a adquirir poder em Alsace-Lorraine e, finalmente, anexou aquela área em 1681. A Alemanha foi incapaz de forçar a devolução da Alsácia-Lorraine até após a unificação do império alemão e da guerra franco-prussiana de 1871. Após a Primeira Guerra Mundial, a Alsácia-Lorraine foi devolvida à França e dividida nos departamentos de Haut-Rhin, Bas-Rhin e Mosela.

Anhalt

Hoje Anhalt está dividido entre Magdeburg e Halle, dois estados da Alemanha Oriental (Deutsche Demokratische Republik). O nome Anhalt vem do Castelo Anhalt, no Vale do Selke (Selketal) que provavelmente foi construído pelo conde von Esiko Ballenstedt, que morreu em 1059. A família Ballenstedt formaram seu condado (Grafschaft) combinando uma herança da parte do distrito Suábia (Schwabengaus) com o condado de Aschersleben, que eles já possuíam. Ao mesmo tempo eles aumentaram o tamanho das suas explorações, atravessando o Rio Saale em que viria a ser conhecido como Anhlat oriental (Ostanhalt).
Em vários momentos o condado (Grafschaft) foi dividido entre os herdeiros de seus governantes. Em 1252, foi dividido entre:
1. Heinrich II, o fundador da linha Ascherslebener , que durou até 1315.
2. Bernhard I, fundador da linha Bernburger, que durou até 1468.
3. Siegfried I, fundador da linha Köthener, que durou até 1918.

A área conhecida como Anhalt se envolveu com a Reforma entre 1526 e 1534. Em 1570 Joachim Ernst von Dessau (1551-1586) conseguiu unir as diversas áreas do principado, mais uma vez; no entanto, em 1603, seus cinco filhos dividiram a herança nas seguintes áreas:
1. Anhalt-Dessau, que durou até 1918.
2. Anhalt-Bernburg, que durou até 1863.
3. Anhalt-Kothen, que durou até 1665.
4. Anhalt-Zerbst, que durou até 1797.
5. Anhalt-Ploetzkau, que durou até 1847 (depois de 1665 ficou conhecido como Kothen-Ploetzkau).

Originalmente a área era principalmente Luterana (Evangelisch). Por volta de 1750, o principado de Anhalt declarou-se da fé calvinista (reformiert). Apesar de muitas batalhas, a igreja Reformada foi incapaz de eliminar completamente o luteranismo; hoje a religião principal é mais uma vez a Luterana.
A área foi devastada durante a Guerra dos Trinta Anos (1618-1648), e como um resultado, muito material de fonte genealógica foi destruído.
Em 1863, a área total foi mais uma vez unida pela linha sobrevivente de Anhalt-Dessau. Em 1937, a área foi dividida em cinco distritos (Kreise). Eles eram Dessau, Kothen, Zerbst, Bernburg, e Ballenstedt.
Originalmente Anhalt foi organizada por casas senhoriais (Hofe) que tinham administração provincial sobre suas respectivas áreas. Em 1181 encontramos menção de côrtes senhoriais (Hofdmter), que foram administradas por ministros (aproximadamente igual a cavaleiros na vida social). Esta prática continuou até o século XIV. Na segunda metade do século XVI o governo provincial foi separado da administração senhorial Um marechal foi colocado como chefe da administração senhorial enquanto a administração provincial foi realizada por vários conselhos. Registros senhoriais de tribunal são mencionados nos materiais genealógicos, mas nenhuma descrição é dada do nível da sociedade com os quais lidar. Este sistema durou até o final do século XVII.

Baden

Hoje Baden forma a porção ocidental de Baden-Wurttemberg. um estado na Alemanha Ocidental (Bundesrepublik Deutschland). Originalmente Baden se consistiu em quatro áreas distintas. A parte original, o Alto Margravate em Breisgau (Obere Markgrafschaft im Breisgau), consistia em Sausenberg e Hachberg e veio a existir em 1074.
A parte norte de Baden foi adquirida em 1102, incluindo a área sobre o norte até Heidelsheim (Kreis Karlsruhe) e até o sul de Buhl (Kreis Baden-Baden).
De 1311-1315, Baden foi ampliado para incluir Roetteln e, em 1444, Badenweiler. Em seguida, continuou a expandir-se ao longo do Rio Reno. Entre 1442 e 1497, Lahr e Mahlberg foram tomadas de Moers-Saarwerden e adicionados a Baden.
Baden foi dividida em diversos momentos entre o herdeiros de seus governantes. Não foi unida até o reinado de Markgraf Bernhard I (1372-1430) e provida com um governo central. Esta unificação, no entanto, não, durou muito tempo, pois os filhos de Christoph I dividiu-a novamente entre os anos de 1515 e 1535.
Durante a Guerra dos Trinta Anos (1618-1648) Baden mudou de Luterana para Católica, então para Calvinista, e, finalmente, de volta à Luterana, dependendo da religião de seus governantes. Depois de mudar de religião oito vezes durante um período, a situação finalmente se estabilizou com a porção sul (de Baden- Baden), incluindo a Alsácia e Breisgau) como Católica, e a porção norte (de Baden-Durlach, incluindo Landau no Palatinado) como Protestante. Devido às perdas pesadas de população durante a Guerra dos Trinta Anos, muitas famílias da Suíça mudaram-se para a área de Baden-Durlach. Depois de 1677 muitos huguenotes, valões e valdenses mudaram-se para Baden-Durlach do Palatinado.
Em 1689 tanto Baden-Durlach como Baden-Baden sofreram grandes perdas com os franceses durante as guerras de sucessão. Todos as três principais cidades-Baden, Durlach, e pforzheim-foram queimadas. Em 1715 a cidade de Karlsruhe foi fundada por Markgraf KarlWilhelm. Foi aqui em 1722 que a liberdade de religião foi garantida a todos os luteranos, calvinistas, católicos, e judeus.
Em 1803, a área a leste do Reno foi ocupada por Napoleão, e fora do margravate (Markgrafschaft) de Baden, Napoleão formou o eleitorado de Baden. Em 1810, porque o grão-duque tinha mudado sua fidelidade aos aliados no declínio do poder de Napoleão, o eleitorado de Baden permaneceu intacto e foi elevado ao status de um Grão-Ducado. As fronteiras permaneceram as mesmas até que Baden-Württemberg foi formada após a Il Guerra Mundial.

Baviera (Bayern)

Hoje a Baviera (Bayern) forma o sudeste da República Federal da Alemanha e é o maior dos estados da Alemanha Ocidental. Desde o início dos anos da Idade Média, sempre foi um dos maiores e mais importantes estados alemães.
No século XII suas fronteiras se estendiam desde o Rio Lech, a oeste com o Leitha no leste, e do Mar Adriático, ao sul com o Rio Eger ao norte. Esta área é agora ocupada pela Baviera e pela Áustria. Devido ao seu tamanho e importância, a discórdia quase contínua existia entre o imperador alemão e os grão-duques da Baviera. Os imperadores foram capazes de estender sua influência sobre a área por dividir o território em principados menores e bispados.
A tradição germânica de dividir a herança de uma pessoa morta igualmente entre seus herdeiros contribuiu para a divisão do principado através do século XIII. No entanto, após a morte de Otto II em 1253, A Baviera ainda era o maior principado no império. Em 1255 a Baviera foi dividida uma vez mais. Heinrich XIII tomou a metade oriental da baixa Baviera (Niederboyern) e Ludwig II da metade oeste da alta Baviera (Oberbayern), incluindo a a área do Palatinado às margens do rio Reno. Embora em 1268 esses dois irmãos herdaram parte das possessões da família Staufen (Stoufischen Hausgutes), eles foram incapazes de lançar mão dela, devido a interferência da Áustria.
Em 1289, após a morte de Heinrich e Ludwig, a Baviera foi novamente dividida. Depois de derrotar os austríacos perto de Gammelsdorf em 1313, Ludwig IV, o Bayer (1294-1347), originalmente o Duque de Oberbayern-Ingostadt, fora feito guardião de seus jovens primos Niederbayern. Após a eleição em 1314, ele foi eleito imperador dos alemães. Como imperador, ele tentou devolver o poder e a influência da Baviera à sua estatura originai. Ele foi incapaz de completar seus projetos, e na sua morte em 1347 a Baviera foi dividida novamente.
Baviera foi dividida mais uma vez antes que uma lei de primogenitura (o direito exclusivo de o filho mais velho à herança) fosse aprovada em 1506.
Embora a Reforma de primeiro encontrasse aceitação na Baviera, foi logo confrontada pela Contra-Reforma, que finalmente ganhou uma completa vitória para o catolicismo. Durante a Guerra dos Trinta Anos, a Baviera apoiou a Áustria e, portanto, conseguiu aumentar a sua influência sobre uma ampla área. Desde essa época até a fundação do Império Alemão, em 1871, a Baviera continuou a ampliar suas fronteiras e unificar suas participações.

Palatinado (Pfalz)

Originalmente, o Palatinado ocupou a área que é agora o extremo sul de Rheinland-Pfalz. Hoje está dividida entre Hesse (Hessen), Rhineland-Palatinado (Rheinland-Pfalz), Baden-Wurttemberg, e Saarland.
O principado do Palatinado tornou-se parte da Baviera no século XIII, quando Friedrich II deu o principado ao Duque Ludwig da Baviera. O Palatinado permaneceu com a família Wittelbacher até que foi tomada por Napoleão entre 1797 e 1801. Foi dividida muitas vezes por causa dos tradicionais direitos de herança germânicos. De uma só vez foi dividida entre tantos quanto quarenta e quatro soberanos.
Durante a Guerra dos Trinta Anos, o Palatinado foi completamente devastado. Antes da guerra, a principal religião era o calvinismo. Depois da guerra, houve um breve período de tolerância para todas as religiões, seguido por uma mudança mais uma vez ao catolicismo. É atualmente tanto católico como protestante.
Entre os anos 1618 e 1700, a área foi devastada pelo menos seis ou mais vezes. Como, no norte de Baden, 70 por cento da população do Pfalz após o ano 1648 era composta de imigrantes com cerca de 40 por cento deles vindo da Suíça.  Por causa das muitas guerras que se seguiram à Guerra dos Trinta Anos, muitos desses imigrantes mais tarde deixaram o Palatinado e emigraram para os Estados Unidos, Rússia, e América do Sul.

Birkenfeld

Veja Oldenburg.

Brunswick (Braunschweig)

Hoje, o Ducado de Brunswick (Braunschweig) é dividido entre a Baixa Saxônia (Niedersachsen) na Alemanha Ocidental e Magdeburg, na Alemanha Oriental. Em 1180 Henry, o Leão tomou posse da Baixa Saxônia, de Brunswick, que fazia parte, e foi elevado para o status de um principado. Após sua morte, seu filho Otto tomou posse dela. Em 1209 Otto tornou-se Otto IV, imperador das Nações do Sacro Império Romano Alemão. Ele morreu em 1218. Por que nem ele nem seu irmão, o príncipe Heinrich do Palatinado, deixaram filho, o principado foi dividido entre seus familiares.
Brunswick foi elevado mais uma vez a um principado sob Otto, a Criança em 1235. Entre 1235 e 1252 à cidade de Brunswick foi concedida a independência política. Após a morte de Otto, a Criança, o principado foi dividido entre seus filhos com Albrecht recebendo o Ducado de Brunswick. Brunswick permaneceu na casa dos Welf até 1918.
Em 1528 a cidade de Brunswick se tornou protestante, embora a zona rural dos arredores permanecesse católica. Em 1568, o resto do ducado aceitou o protestantismo.
Os efeitos da Guerra dos Trinta Anos variou de uma zona para outra. Essas áreas dentro dos caminhos de invasão dos exércitos eram geralmente completamente destruídas, enquanto outras eram deixadas intactas. A cidade de Brunswick foi uma dessas áreas que escapou à devastação da guerra. Em 1671, a cidade perdeu sua liberdade e tornou-se mais uma vez parte do ducado de Brunswick-Wolfenbüttel.
Napoleão fez do Ducado de Brunswick um departamento no reino da Vestfália (Westfalen) em 1807, e permaneceu como tal até 1813. Em 1834, a cidade de Brunswick, mais uma vez tornou-se independente do ducado de Brunswick. Brunswick permaneceu um ducado até 1918.

Hesse (Hessen)

Hesse é, atualmente, um estado na Alemanha Ocidental. Foi anteriormente um principado eleitoral e município (Grafschaft). É composto de dois outros ex-principados Hesse-Darmstadt (Hessen-Darmstadt) e Hesse-Kassel (Hessen-Kassel), além de parte da antiga província prussiana de Hesse-Nassau (Hesscn-NClSSQU). Durante o período medieval Hesse foi o ponto principal de lutas entre o poder secular e o eclesiástico. Até o final do século XV, o Landgrafschaft de Hesse foi o maior e mais forte poder do centro-oeste da Alemanha.
Sob a direção de Philipp o Magnânimo (1517-1567), Hesse desempenhou um papel importante na Reforma, especificamente na elaboração da Concórdia Wittenberger de 1536, que foi uma tentativa de trazer os seguidores de Zwingli (o fundador da Igreja Reformada) e de Lutero a um entendimento. Na morte de Philipp, Hesse foi dividida entre seus quatro filhos. Wilhelm IV, o mais velho, recebeu Hesse-Kassel, quase a metade do principado; Ludwig, com Hesse-Marburg, recebeu cerca de um quarto, e Phillip, com Hesse-Rheinfels, e Georg, com Hesse-Darmstadt, cada um recebeu cerca de um oitavo. A linha de Hesse-Rheinfels morreu em 1583 e Hesse-Marburg em 1604. O debate sobre a divisão destas duas áreas resultou no Conflito da Sucessão Marburger (Marburger Erbfolgestreit). Como resultado, a destruição da Guerra dos Trinta Anos foi intensificada por uma disputa permanente entre as duas casas governantes de Hesse durante a guerra.

Hesse-Darmstadt (Hessen-D (Jnnstndt))

Hesse-Darmstadt ganhou em poder e influência após a Paz de Westphalia (1648), através da época de Napoleão. De 1803 a 1815 perdeu territórios no lado oeste do Reno, mas recebeu território no lado leste em recompensa. Ganhou Kurmainz, Kurpfalz, e o ducado Kurkblnische de Westphalia. Em 1806 Darmstadt ganhou o condado (Grafschoft) de Erbach. Em 1815, o ducado KurkiJlnische de Westphalia foi trocado com a Prússia por lsenberg-Birstein, Worms, Alzey e Bingen.

Hesse-Kassel (Hessen-Kassel; Kurhessen)

Em 1807, Hesse-Kassel foi combinado com o reinado de Westphalia, e Napoleão colocou seu irmão Jerome no trono. Em 1813, o principado eleitoral de Hesse-Kassel foi restabelecido, e adquiriu o baixo condado (Nieder-Grufschaft) de Katzenelnbogen. Em 1866, Hesse-Kassel foi anexado pela Prússia e o nome foi mudado para Hesse-Nassau. Este novo Estado prussiano incluía territórios tomados de Hesse-Darmstadl-ducado de Nassau e Hesse-Homburg, as áreas da ex-bavária de Gersfeld e Orb, os distritos de Biedenkopf e Voehl, e a cidade de Frankfurt am Main.

Hesse-Nassau

Veja Hesse-Kassel.

Lippe

Hoje Lippe é uma parte da Renânia do Norte-Vestfália (Nordrhein-WestfaleJl) na Alemanha Ocidental. Originalmente uma casa senhorial (1190), desenvolveu-se em um condado (Grafschaft) em 1528 e, finalmente, tornou-se um principado em 1789. ln 1605 Lippe (com exceção da cidade de Lemgo, que permaneceu Luterana) adotou a Igreja Reformada como religião do Estado. Os efeitos da Guerra dos Trinta Anos (1618-1648) não era tão difundido nem tão grave em Lippe como em outras áreas. Lippe permaneceu um estado separado até que foi a força habilmente absorvido no Terceiro Reich pelos nacional-socialistas (1933-1945).

Mecklenburg

Hoje Mecklenburg é dividido entre os distritos orientais alemães de Rostock, Schwerin, Potsdam, e Neubrandenburg. Mecklenburg era originalmente a casa dessas tribos germânicas como os Langobards, os Anglos, e Saxões. Foi despovoada durante o grande Völkerwanderung (migração em massa) do quinto e sexto séculos e foi repovoada por tribos eslavas do leste.
Do sexto ao décimo primeiro séculos, guerras quase continuas entre as várias tribos eslavas, gradualmente, despovoou a área, mais uma vez. Esta condição permitiu aos alemães retornar durante os séculos XII e XIII. O paganismo prevalecia até o retorno dos alemães cristãos durante o século XIII. A partir do século XIII ao XVI, houve turbulência política contínua. Em 1524, os governantes de Mecklenburg, Heinrich V e seu irmão Albrecht VII, pediram a Martin Luther enviar ministros para eles. Por 1542 a Reforma foi completa em Mecklenburg.
Durante a Guerra dos Trinta Anos, a população de Mecklenburg foi tão grandemente reduzida que os viajantes viajando através da área durante aquele período repetiam a frase comum: "Não há nada além de ar e areia em Mecklenburg. "Depois da guerra, a população foi reconstruída pela imigração de Holstein, Dinamarca e Suécia, mas Mecklenburg logo sofreu destruição adicional nas guerras de Brandenburg e Suecos e de Suecos e Poloneses. Em 1720 Mecklenburg foi dividida em dois principados distintos: Mecklenburg-Schwerin e Mecklemburgo-Strelitz.

Mecklenburg-Schwerin

De 1747-1756 o sistema feudal foi reforçado a tal ponto que os senhores de casas senhoriais tinham a autoridade suprema. Deles era a única lei até a Revolução de novembro de 1918, que trouxe um fim ao feudalismo. Durante o período napoleônico o duque de Mecklenburg foi expulso de seu país e não retornou até 1815.

Mecklenburg-Strelitz

Mecklenburg-Strelitz consistia de duas partes. A menor área ocidental era conhecida como Ratzeburg, e a área oriental era conhecida como Strelitz. Sob mais governantes iluminados o sistema feudal terminou em Mecklenburg-Strelitz até o final do século XVIII. Como em Mecklenburg-Schwerin, Napoleão botou para fora o duque de sua terra em 1809, no entanto, ele foi reintegrado em 1815.

Oldenburg

Hoje Oldenburg está dividida entre a Baixa Saxônia (Niedersochsen), Schleswig-Holstein, Renânia-Palatinado (Rheinlond-Pfalz) e Saarland na Alemanha ocidental. A fundação da casa de Oldenburg remonta ao início do século XII. Originalmente, era sujeita a Henry, o Leão, que ajudou o Conde Christian a tentar subjugar os Astringer e Rustringer (tribos Frisão). A Oldenburg manteve um poder político até 1866, quando descontinuou suas próprias unidades militares.
Durante a Reforma Oldenburg adotou o Luteranismo, mas algumas das áreas do sul (Friesoythe, Cloppenburg, e Vechta) mantiveram-se católicas. Durante a Guerra dos Trinta Anos, Oldenburg se manteve neutra e, consequentemente, sofreu pouco dano.
De 1448-1667, Oldenburg ficou sob influência dinamarquesa porque Christian, o herdeiro de Oldenburg, foi feito o rei da Dinamarca. Em 1667, a casa senhorial (Herrschaft) de Jever foi herdada pelo governador de Anhalt-Zerbst e em 1793 pela czarina russa Catherine II. Em 1767 Oldenburg recebeu o principesco Bispado (Furstbistum) de Lubeck.
Durante o período napoleônico, Oldenburg tornou-se um membro da Confederação do Reno (Rheinbund). Em 1810 a França assumiu Oldenburg e a fez parte da França. O duque fugiu para a Rússia, mas voltou após a Batalha de Leipzig (Volkerschlocht) em 1813. Em 1813, tornou-se um ducado e adquiriu o principado de Birkenfeld na Renânia. Em 1829, Oldenburg foi elevado ao status de um principado.

O Reino da Prússia (Das Königreich Preussen)

O país alemão mais influente foi a Prússia (Preussen). Apesar de não desenvolver-se como um poder até os séculos XVIII e XIX, a Prússia tornou-se poderosa tão rapidamente que todos os outros estados alemães logo tornaram-se sujeitos à sua influência. Suas fronteiras se estendiam desde o rio Reno e a França no oeste para além do rio Memel e a Rússia no leste. As seguintes províncias constituíam o Reino da Prússia:
1. Brandenburg
2. Prússia Oriental (Ostpreussen)
3. Hannover (Hannover)
4. Hesse-Nassau (Hessen-Nassau)
5. Hohenzollern
6. Pomerânia (Pommern)
7. Posen
8. Renânia (Rheinland)
9. Província Saxônia (Provinz Sachsen)
10. Schleswig-Holstein
11. Silésia (Schlesien)
12. Westfália (Westfalen)
13. Prússia Ocidental (Westpreussen)
Antes da unificação da Alemanha em 1871 a Prussia controlava, em um momento ou outro, território
pertencente a cada estado alemão.

Brandenburg

Hoje Brandenburg está dividida entre a Polônia e Alemanha Oriental. Embora a história de Brandenburg começa muito mais cedo, o período de Hohenzollern começou em 1415, quando Friedrich I (1417-1440) recebeu as marcas (Mark) e eleitores (Kur) de Brandenburg para si e seus herdeiros. O eleitor Johann (1486-1499) foi o primeiro dos governantes Hohenzollern a nascer e morrer em Derlin.
Por cerca de 1534, a maioria do marco de Brandenburg (Mark Brandenburg) tinha sido convertida ao luteranismo, e por 1555 a conversão estava completa. Por 1577 Brandenburg estava na vanguarda na luta contra a A Igreja Reformada e o Calvinismo, no entanto, em 1613 Johann Sigismund, eleitor de Mark-Brandenburg e duque da Prússia (1608-1619), foi convertido para a Igreja Reformada.
A política da Guerra dos Trinta Anos trouxe Brandenburg em conflito tanto com os protestantes e os católicos. O resultado final é que Brandenburg sofreu algumas das mais pesadas ​​destruições da guerra. Estima-se que existiu uma perda de 70 por cento de vidas nas cidades, com a correspondente perda de fazendas e casas senhoriais. Após a Paz de Westphalia (1648), o marco de Brandenburg recebeu Magdeburg, Halberstadt, e Hinterpommern. De 1648 a história de Brandemburgo é mesclada com a da Prússia.

Prússia Oriental (Ostpreussen)

Hoje a Prússia Oriental está dividida entre a Rússia e a Polônia. A Prússia Oriental foi originalmente uma parte da área conquistada pela Ordem dos Cavaleiros Teutônicos no século XIII. Em 1525, o governo civil foi introduzido por Albrecht de Brandenburg, o grande mestre da Ordem dos Cavaleiros Teutônicos, nessa altura, tornou-se um feudo dos Hohenzollern sob a coroa polonesa. Em 1618 a Prússia Oriental foi unida com Brandenburg e ficou sob o controle completo da família Hohenzollern. A Prússia Oriental foi muito pouco afetada pela Guerra dos Trinta Anos.
Entre 1655 e 1660, a Prússia Oriental devia fidelidade à Suécia. Em 1656, os tártaros atacaram a Polônia e espalhou destruição na parte sul da Prússia Oriental. Em 1657 foi assinado um tratado dando a Prússia Oriental à Polônia deveria morrer a linha Hohenzollern. Durante o período napoleônico (1805-1812), a Prússia Oriental sofreu grande destruição. A população foi reduzida a quase um terço, e sua economia ficou prejudicada. De 1812 até a Primeira Guerra Mundial. a Prússia Oriental permaneceu relativamente isolada da política mundial.

Hannover

Hoje Hannover ocupa a maior parte do que é a Baixa Saxônia (Niedersachsen) na Alemanha Ocidental. E veio à existir em 1635 como o principado de Calenberg pela vontade de Duque Georg. Foi governado em sucessão por seus quatro filhos, que fortaleceram o governo central através da criação de um exército permanente com cerca de trinta mil soldados. Em 1692 Hannover tornou-se um principado eleitoral. Em 1714, o duque Georg I de Hannover tornou-se George I da Inglaterra, e de 1714-1837 Hannover e Inglaterra estavam sob o mesmo governante.
Durante o período Napoleônico, Hannover foi ocupada pela Prússia em 1801 e 1805 e pela França em 1803 e 1806. De 1807 a 1813, a porção sul fazia parte do reino de Westphalia e, de 1810-1813 a porção norte foi ocupada pela França. Em 1813, Hannover foi ampliada para incluir Osnabrueck, Emsland, Ostfriesland, Hildesheim, Goslar, e Unterreichfeld. Em 1866, Hannover tornou-se parte da Prússia.

Hohenzollern

Hoje Hohenzollern é uma parte de Baden-Wütirttemberg na Alemanha Ocidental. No final da Idade Média, se estendia do Danúbio ao leste, para o rio Neckar no oeste. Por volta do século XV, foi encolhida a uma pequena área em torno do castelo hereditário.
Sob a direção de governantes energéticos Hohenzollern em seguida, começaram a aumentar seu território. Em 1497 compraram a casa senhorial de Haigerloch e em 1552 a de Wehstein. Em 1535, recebeu como um feudo da Áustria os condados de Sigmaringen e Veringen. Este crescimento foi verificado quando a área foi dividida, de acordo com a vontade de seu governante, em três porções; Hechingen, Sigmaringen, e Haigerloch. Em 1634 Haigerloch caiu no ramo Sigmaringen. A área Sigmaringen permaneceu católica, mas a área Hechingen foi convertida ao protestantismo. Em 1695 ambas as áreas foram herdados pelo ramo prussiano da família Brandenburg.

Pomerânia (Pommern)

Hoje a Pomerânia está dividida entre a Alemanha Oriental e a Polônia. Como uma entidade política, é mencionada pela primeira vez em 1046. Parece ter sido um caldeirão das raças germânicas e polonesas. De 1121-1478 a Pomerânia existia como um ducado separado, mas durante este período a Suécia, a Dinamarca, Brandenburg, e a Polônia todos interferiam nos assuntos políticos da área. Brandenburg obteve um corredor para o mar através da Pomerânia durante este período.
Na Pomerânia a Reforma foi liderada pessoalmente por um colega e amigo de Martin Luther, Johannes Bugenhagen. Em 1536 o Duque Philipp I foi casado com Maria, a filha do príncipe Elector João, o constante da Saxônia, por Martin Luther. Neste momento os Duques da Pomerânia aceitaram a Reforma. Durante a Guerra dos Trinta Anos, a Pomerânia perdeu até um terço de sua população e uma igual quantidade de propriedades. Durante a guerra, a linha masculina dos Duques da Pomerânia morreu, e em 1637 a Suécia governou-a como uma província. Com a Paz de Westphalia (1648), a Suécia recebeu a Pomerânia Ocidental (Vorpommern) e Brandenburg recebeu a Pomerania mais distante (Hinterpommern). Em 1720 Suécia vendeu a porção sul da Pomerânia Ocidental a Brandenburg. A Suécia manteve apenas a área ao norte do rio Peene e da ilha de Ruegen. Na Paz de Kiel (1814), a Suécia deu as suas restantes possessões na Pomerânia para a Dinamarca; no entanto, sob o Acordo de Viena, o território foi dado a Prússia. Assim, todos da Pomerânia foram finalmente unidos em uma província prussiana.

Posen

Hoje Posen é uma parte da Polônia. Posen teve colônias alemãs desde o início do século XIII, no entanto, muitos dos primeiros assentamentos alemães foram absorvidos pela cultura polonesa. Durante o século XVI, o assentamento alemão de Posen foi feito na maior parte de refugiados fugindo da perseguição religiosa na Holanda. Esses imigrantes desenvolveram suas próprias leis, cidades, e costumes de negócio. Eles conseguiram uma forma de liberdade até então desconhecida na Europa, incluindo quase completa liberdade religiosa. No século XVII muitos refugiados da Silésia se juntaram a eles para evitar a Contra-Reforma.
Em 1772, ocorreu a primeira partição da Polônia. A Polônia foi dividida entre a Prússia, Áustria e a Rússia, a Prússia tomou posse de Posen. Em 1806 Napoleão conquistou a área sem oposição, e em 1807 aboliu o sistema feudal. Em 1813 Posen foi ocupada pela Rússia, mas, em 1815, a Prússia mais uma vez, assumiu o controle da área.

Renânia (Rhein Provinz)

Hoje, o Rhineland é dividido entre os estados alemães ocidentais da Renânia-Palatinado (Renânia-Pfolz). Renânia do Norte-Vestfália (Nordrhein-Wesifalen) Saarland e Hesse (Hessen). Originalmente foi composto principalmente das jurisdições religiosas dos bispados de Colónia (Köln) e Treves (Trier). Os bispados de Colónia e Treves continuamente conspiravam em conjunto para estender sua influência. Como resultado, um estado de hostilidade existia entre eles e a nobreza do Baixo Reno (Niederrhein). Os bispados de Colónia e Treves surgiram como principados eleitorais eclesiásticos-Colónia (Kurköln) até o final do século XIII, seguido por Treves (Kurtrier).
Durante a Guerra dos Trinta Anos a Renânia permaneceu na sua maior parte intacta, mas durante o final do século XVII, foi invadida pelos franceses em várias ocasiões. Em 1689 Friedrich I de Brandenburg, após combates pesados, foi capaz de conduzir os franceses para fora da Renânia. No início do século XVIII a Renânia foi disputada pelos franceses, prussianos, austríacos, holandeses e espanhóis, e em 1794 os franceses mais uma vez ocuparam a Renânia. Em 1815, a Renânia foi dada a Prússia pelo Congresso de Viena.

Reino da Saxônia (Königreich Sochsen)

Veja Província Saxônia.

Província Saxônia (Provinz Sachsen)

Hoje a província Saxônia está na Alemanha Oriental. O que tornou-se província Saxônia foi o resultado de muitas partiçõese divisões hereditárias, que deixou o principado original com porções de-terra pertencentes a outras entidades políticas.
A Reforma tomou uma posição sob o Duque Heinrich entre 1539 e 1541. Durante a Guerra dos Trinta anos, o reino da Saxônia foi invadido e saqueado por católicos e protestantes.
Durante o período napoleônico a área era um membro da Confederação dos Estados do Norte da Alemanha. Após a derrota da Confederação em Jena e Auerstedt em 1806, a Saxonia assinou a Paz de Posen com a França e foi tornada um reino por Napoleão. No mesmo tempo, tornou-se um membro da Confederação do Reno e um aliado da França. Depois da derrota de Napoleão, em 1815, de acordo com os artigos do Congresso de Viena, a porção norte do reino da Saxônia foi dada a Prússia e tornou-se conhecida como Província Saxônia.

Schleswig-Holstein

Hoje Schleswig-Holstein é um estado dentro da Alemanha Oriental. Originalmente Schleswig-Holstein existia como dois órgãos políticos individuais.
Durante a Idade Média Holstein-Stormarn era um condado (Gral'sehaft) e Schleswig era um ducado dentro do reino da Dinamarca. Durante o século XIII o condado de Holstein tornou-se aliado de Schleswig e permaneceu como tal em todos os seus conflitos com a Dinamarca. Na primeira metade do século XIV o conde de Holstein-como o guardião de seu sobrinho, o duque de Schleswig-nomeou seu sobrinho para ser o rei da Dinamarca. Com a eleição do duque de Schleswig como o rei da Dinamarca (1326), o conde de Holstein manejou para ser a si mesmo reconhecido como o guardião e regente do rei, porque seu sobrinho era menor de idade. Assim começou o governo do conde de Holstein sobre tudo da Dinamarca (1326). Holstein e Schleswig foram brevemente unidos sob um governo pela a primeira vez. Schleswig e de Holstein foram separados no final de 1326 devido as leis de sucessão e não foram reunidos politicamente até 1440. Schleswig permaneceu um feudo da Dinamarca até esse tempo. Em 1474 Holstein era um feudo do imperador alemão e foi elevado à condição de um ducado pelo imperador Friedrich Ill.
Logo depois de 1520 os primeiros ministros luteranos começaram pregando nas cidades de Holstein e Schleswig. Por 1537 o Luteranismo era a religião oficial dos dois ducados. Durante a Guerra dos Trinta Anos, Schleswig-Holstein tentaram permanecer neutros e foram parcialmente bem sucedidos nisso, mas durante a guerra com a Suécia (1658), Schleswig-Holstein sofreram muita destruição.
Schleswig-Holstein permaneceram sob controle dinamarquês até a Prússia e a Áustria toma-los pela força em 1864. Em 1866, a Áustria deu à Prússia seus direitos para Schleswig-Holstein, e em 1867 Schleswig-Holstein se tornaram uma província prussiana.
Uma pequena área de Schleswig-Holstein ao norte de Flensburg foi dada à Dinamarca após a Segunda Guerra Mundial.

Silésia (Schlesien)

Hoje a Silésia está dividida entre a Alemanha Oriental, a Polônia e Tczecoslovaquia, A Polônia tem tudo, mas o extremo oeste, que pertence à Alemanha Oriental, e uma pequena área no sul, que pertence a Tczecoslovaquia. Como um corpo político a Silésia é mencionada como no início do século XII. A sua cultura tem sido uma mistura de influências alemãs e polonesas por séculos. Originalmente um reino, que cobria a maior parte da Polônia no século XIII, mas diminuiu em território através de partilhas de herança para uma posição de pouca importância, no século XIV. No século XVI a Silésia tornou-se uma parte do império austríaco.
A Reforma começou a afetar a Silésia, em 1522, nas cidades de Freystadt e Liegnitz. No início da Guerra dos Trinta Anos, a Silésia foi dividida entre católicos e protestantes, e em 1626, como Wallenstein ocupou a Silésia, a Contra-Reforma começou. Os protestantes foram severamente restringidos ou forçados a fugir, e por volta de 1632 apenas algumas areas protestantes mais fortes de Breslau, Liegnitz e
Brieg-foram autorizados a manter sua liberdade religiosa, após a primeira rendição ao imperador. Na Paz de Westphalia (1648), aos ducados de Liegnitz, Brieg, Oels, Muensterberg e Breslau foi concedida liberdade de religião, por causa da intercessão da Suécia. Os protestantes também foram autorizados a construir igrejas fora dos portões da cidade de Glogau, Jauer e Schweidnitz.
De 1648 através de 1740, a Silesia permaneceu uma parte do Império Austríaco. Em 1741 o rei Frederico II (o Grande) da Prússia subjugou a Silésia. Nos artigos de de paz assinado entre a Áustria e a Prússia em 1742, a Prússia recebeu nove décimos da Silésia, e a Áustria um décimo. Nas guerras seguintes, incluindo a Guerra dos Sete anos, essas fronteiras não se alteraram. Os habitantes sofreram muito durante a Guerra dos Sete anos, com uma perda de cerca de 1,3 milhões de vidas.
Após a submissão aparentemente passiva durante o período napoleônico, a Silesia começou um movimento popular de resistência ao imperialismo francês. No final do período napoleônico, em 1815, algumas mudanças foram feitas nas fronteiras da Silésia (ver mapa).

Westfália (Westfalen)

Hoje toda a antiga província da Westfália está dentro do estado de Renânia do Norte-Westfália (Nordrhein-Westfalen) na Alemanha Ocidental. Originalmente a Westphalia foi composta pelos seguintes orgãos políticos seculares e religiosos:
1. Bispado de Colônia (Köln Erzbislum)
2. Bispado principesco de Munster (Fürstbistum Munster)
3. Bispado principesco de Paderborn (Fürstbistum Paderborn)
4. Bispado principesco de Minden (Fürstbistum Minden)
5. Abadia principesca de Corvey (Fürstabtei Carvey)
6. Cidade imperial de Dortmund (Reichsstadt Dortmund)
7. Condados de Mark e Ravcnsburg (Gmfschaften Mark und Ravcnshurg)
8. Condados de Tecklenburg e Lingcn (Grafschuften Tecklenburg und Lingen)
9. Principado de Lippe (Fürstenlum Lippe)
Estas unidades se juntaram gradualmente até que, sob Napoleão, eles se tornaram o reino de Westphalia.
Durante a Guerra dos Trinta anos (1618-1648), essas áreas passaram de católica a protestante depois de volta ao controle católico. Estima-se entre 30 e 40 por cento da população da área morreu durante esta guerra. Posteriormente, a área sofreu grave destruição de outras guerras em 1689, 1701-1714 e 1740-1763. Em 1815, a área inteira, com exceção de Lingen, que foi dado a Hannover e o principado de Lippe tornou-se uma província da Prússia.

Prússia Ocidental (Westpreussen)

Originalmente a Prússia Ocidental era conhecido como Prússia Real (Königlich Preussen) ou "A Porção Real Polonesa das Terras Prussianas" (Preussische Lande Königlich PolnischcI1 Anteils). Hoje a Prússia ocidental é uma parte da Polônia.
De 1466-1569, a Prússia ocidental estava sob jurisdição polonesa, mas pertencia à Prússia. Em 1569 a união pessoal da Prússia Ocidental e a Polônia mudou para uma união real com Prússia Ocidental vindo a ficar sob o completo controle da Polônia. No entanto, as pessoas da porção sudoeste da Prússia Ocidental continuaram suas tradições germânicas.
As áreas alemãs de Prússia Ocidental aceitaram o protestantismo muito cedo: Danzig em 1518, e no resto da Prússia ocidental entre 1525 e 1550. Durante a Guerra dos Trinta Anos, a Prússia ocidental sofreu muito pouca destruição, no entanto, durante as guerras polaco-sueca de 1626-1635, 1655-1660 e 1700-1721, a Prússia ocidental sofreu destruição considerável.
Nos anos de 1772, 1793 e 1795, a Prússia tomou a Prússia ocidental, da Polônia. Em 1807, França assumiu o controle de todos da Prússia. Após a derrota de Napoleão em 1815, a Prússia ocidental foi devolvida à Prússia.

Schaumburg-Lippe

Hoje Schaumburg-Lippe é uma parte da Baixa Saxônia (Niedersnchsen) na Alemanha Ocidental. Embora com existência prévia à Guerra dos Trinta Anos, nunca foi uma área de destaque. Em 1807, ela foi elevada ao status de um principado. De 1918 a 1946, existiu como um estado soberano da nação alemã.

Os estados da Turíngia (Thüringische Staaten)

Os estados da Turíngia vieram à existência através da a divisão do principado originail da Turíngia entre os descendentes de seus governantes. Por causa das leis de primogenitura, que foram passadas ​​no fim do século XVII, um número destes estados tornou-se gradualmente bastante estável. Em 1815 os estados da Turíngia consistia no seguinte:
1. Granducado de Saxe-Weimar-Eisenach (existia até 1918)
2. Ducado de Saxe-Hildburghausen (existia até 1826)
3. Ducado de Saxe-Gotha-Altenburg (existia até 1826)
4. Ducado de Saxe-Meiningen (existia até 1918)
5. Ducado de Saxe-Coburgo-Saalfeld (existia até 1826)
6. Principado de Reuss-Schleiz (existia até 1848)
7. Principado de Reuss-Gera (existia até 1848)
8. Principado de Reuss-alterador Linie (existia até 1918)
9. Principado de Reuss-Lobenstein (existia até 1824)
10. Principado de Reuss-Ebersdorf (existia até 1848)
11. Principado de Schwarzburg-Rudolstadt (Existia até 1918)
12. Principado de Schwarzburg-Sonderhausen (Existia até 1918)
(Em 1848, os principados de Reuss-Schliez, Reuss-Gera, Reuss-Ebersdorf foram combinadas para formar Reuss-Schi iez-Gera).
Durante a Guerra dos Trinta Anos (1618-1648), os estados da Turíngia ficaram em estado de quase completa destruição. Durante o período napoleônico, porções dos estados foram dadas a Prússia, substituindo áreas tomadas pela França do território da Prússia a oeste do rio Reno. Em 1807, os estados da Turíngia juntou-se a Confederação do Reno. Em 1815, no Congresso de Viena, os estados da Turíngia foram reconhecidos como independente. De 1815 até a unificação da Alemanha, em 1871, a Prússia fez ofensas contínuas na Turíngia.

Waldeck

Hoje, o ducado de Waldeck está dividido entre a Baixa Saxônia (Niedersachsen) e Hesse (Hessen), Alemanha Ocidental. Devido à forte influência de Hesse, os condes de Waldeck juntaram-se a Reforma muito cedo, no entanto, até o século XVII eles não foram capazes de exercer a sua independência, com a ajuda de Ferdinand II, imperador do Sacro Império Romano das Nações Alemãs, durante a Guerra do Trinta Anos.

Württemberg

Hoje Württemberg forma a porção oriental da Baden-Württemberg, na Alemanha Ocidental. Originalmente a área de Württemberg foi fortemente contestada entre Habsburgos e os condes de Württemberg. Começando em 1081 com participações no condado de Remstal (Remstalgrafschaft), os condes de Württemberg foram capazes de solidificar suas participações tão extensivamente que eles se tornaram a potência mais importante na Suábia (Schwaben). O crescimento em poder da família Württemberg teve início no final do período de Staufer. O Conde Ulrich assumiu o controle do condado de Urach entre 1254 e 1265, e sob seu filho Eberhard der Erlauchte (1279-1325), Backnang, Neuffen, Rosenfeld, e Neuenburg foram adicionados. Os Württembergs continuaram a sua expansão pelos próximos cem anos.
A primeira partilha do estado ocorreu em 1442, quando foi dividida entre Ludwig I e Ulrich V. Ludwig I recebeu a parte Uracher, e Ulrich V a área de Stuttgart. O filho de Ludwig I, Eberhard V recebeu a porção de Stuttgart de volta em 1482. Em 1477 Eberhard V fundou a Universidade de Tiibingen. Em 1495 Eberhard V tornou-se o duque de Württemberg.
De 1524-1525 a Guerra Camponesa ocorreu em Württemberg por causa da insatisfação dos camponeses com as desigualdades do feudalismo alemão. Eles foram derrotados em 1525 na Königshofen an der Tauber e foram cruelmente punidos. Em 1536, o duque Ulrich apoiou a introdução da Reforma em Württemberg. Durante a Guerra Schmalkaldic (1546-47), Württemberg foi o primeiro dos estados protestantes a sofrer. Durante a Guerra dos Trinta Anos (1618-1648), Württemberg sofreu grande destruição de vidas e propriedades; algumas das batalhas mais importantes da guerra foram travadas em solo Württemberg. Em 1688 e novamente em 1692-1693, Württemberg sofreu mais destruição quando os franceses invadiram os estados alemães ao longo do rio Reno.
Em 30 de Dezembro de 1805, o duque de Württemberg foi elevado à posição de rei de Württemberg. Durante o período napoleônico, Württemberg aliou-se com a França e se juntou à Confederação do Reno (1806). Württemberg foi capaz de manter o seu status como um reino depois de 1815 por causa de sua oportuna mudança para o lado dos Aliados em 1813.

A Liga Hanseática e as cidades de Lübeck, Hamburgo e Bremen

Como as cidades estados começaram a crescer em termos econômicos e poder político perto do fim da Idade Média atrasada, eles se organizaram em ligas para proteção contra os senhores feudais, por conveniência no comércio, e por outras considerações econômicas. De todas as ligas de cidade, a mais importante foi a Liga hanseática, formada pelas cidades do norte da Alemanha de Lübeck, Hamburgo e Bremen. Esta liga, eventualmente, incluiu a maior parte das grandes cidades ao longo da costa alemã do norte.

Lübeck

Hoje Lübeck é uma cidade em Schleswig-Holstein na Alemanha Ocidental. Das três principais cidades hanseáticas, Lübeck foi a mais importante. Em 1502 foi Lübeck  mais forte e maior, com 25.444 habitantes.
Porque a média do padrão de vida do morador da cidade era muito melhor do que a do camponês, havia uma migração quase contínua das fazendas para as cidades.
Durante a Guerra dos Trinta Anos, Lübeck manteve-se numa posição estritamente neutra; como resultado, em 1650, a população tinha crescido para 31.068, apesar da Guerra dos Trinta anos.
Em 1700 a população tinha diminuído para 23.596, em 1807 havia 24.631 habitantes, e em 1871 foram 39.743.
Durante o período napoleônico Lübeck foi ocupada pelos franceses.

Hamburg

Hoje Hamburg é um estado na Alemanha Ocidental. Como uma cidade medieval, Hamburg diferia muito de Lübeck. Em 1430 tinha uma população de cerca de dezesseis mil habitantes, mas em 1520 sua população tinha diminuido para cerca de quatorze mil. Por volta de 1600 ela tinha superado Lübeck com uma população de cerca de quarenta mil habitantes, por causa da imigração de refugiados religiosos da Holanda, Portugal, Espanha e Itália.
Em 1510 Hamburg foi declarada uma cidade livre imperial (Freie Reichsstadt). Por causa da muralha forte da cidade (construída entre 1616 e 1622), Hamburg nunca foi tomada durante a Guerra dos Trinta Anos.  Tornou-se uma cidade de refugiados, mantendo uma posição neutra durante toda a guerra.
Em 1650 tinha uma população de sessenta mil habitantes. Durante a segunda metade do século XVII século, manteve sua independência dos poderes exteriores. Em 1800 tinha uma população de cento e trinta mil pessoas.
Por causa da ocupação francesa de Hamburg 1810-1814, a economia da cidade sofreu quase destruição completa. Com ajuda Inglesa, a cidade foi capaz de se recuperar de modo que em 1840 chegou a sua idade do ouro econômica.

Bremen

Hoje Bremen é o estado na Alemanha Ocidental. Embora a mais antiga das três principais cidades hanseáticas, foi a menos importante. Em 1350 tinha uma população de cerca de vinte mil habitantes. Bremen foi a única cidade do norte da Alemanha que mudou do Luteranismo para o Calvinismo. A população foi aumentada por refugiados protestantes franceses no final do século XVII. No final do século XVIII Bremen tinha uma população de cerca de trinta e seis mil pessoas. Em 1806 Bremen foi ocupada pelas tropas francesas, e a cidade aderiu à Confederação do Reno. Em 1810 Bremen foi declarada uma parte do império francês de Napoleão. Ela recuperou sua liberdade em 1813.