Se você não conseguir editar a wiki após o login, você precisará solicitar direitos de edição usando este formulário. Você será notificado assim que tais direitos de edição lhe forem concedidos.

Alemanha, Origem e Significados de Sobrenomes Alemães

Da wiki FamilySearch Wiki
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Retornar para Alemanha ou Wiki de Pesquisa Genealógica

Na Alemanha, para as pessoas comuns (não nobres) os sobrenomes surgiram na Baixa Idade Média. Muitas vezes os sobrenomes foram adotados para indicar a profissão do chefe da família, local de nascimento ou sua filiação.

A título de exemplo de sobrenomes alemães que indicam profissão (ocupação) podemos citar: Becker (padeiro), Schneider (alfaiate), Schumacher (sapateiro), Maurer (pedreiro), Küster (sacristão), Schmidt (ferreiro), Koch (cozinheiro), Bauer (agricultor), Weber (tecelão), Schäfer (pastor), Zimmer (marceneiro), Müller (moleiro), entre outros tantos.

Os sobrenomes que foram adotados como referência ao local de nascimento (nome da cidade ou acidente geográfico próximo) também são muitos. Alguns exemplos que podem-se citar são: Schauren (vilarejo na região do Mosel), Sulzbach (vilarejo), Baumbach (córrego da árvore), Rockenbach (córrego das pedras), Berg (morro), etc.

Houveram também os que adotaram algum apelido como sobrenome, como por exemplo Klein (pequeno) ou Wolf (lobo).

Houveram ainda os que adotaram como sobrenome uma referência a sua filiação. Estes são chamados de sobrenomes patronímicos, e podem ser encontrados em várias línguas. Em inglês geralmente são os sobrenomes terminados em "son", que siginifica "filho". Por exemplo Johnson (filho de João). Em dinamarquês seriam geralmente os terminado em "sen", por exemplo Larsen (filho de Lars). Em português são geralmente os sobrenomes terminados em "es". Por exemplo Rodrigues (filho de Rodrigo), ou Fernandes (filho de Fernando). Em alemão tem-se os seguintes exemplos de sobrenomes patronímicos: Georgi (filho de Georg), Petry (filho de Peter), Stephani (filho de Steffen), Sebastiany (filho de Sebastian), dentre outros.

Deste modo, no caso de muitos sobrenomes alemães, saber seu significado é saber um pouco da história de seus antepassados, como por exemplo a respeito de seu local de nascimento ou profissão.

Fato importante a ser ressaltado é que em um determinado vilarejo existia um ferreiro (Schmidt) que adotou sua profissão como sobrenome, e no vilarejo vizinho provavelmente também existiria um outro ferreiro, que também adotaria o mesmo sobrenome, não havendo entretanto qualquer ligação familiar entre eles. O mesmo se dá para os sobrenomes que se referem a locais (Berg = morro, por exmplo) e para os sobrenomes que indicam filiação (Petry = filho de Peter). Deste modo, em termos de pesquisa genealógica, não se pode a princípio afirmar que dois "Schmidt" por exemplo, nascido em vilarejos próximos um do outro na Alemanha, são necessariamente da mesma família.

Podem-se citar ainda os judeus habitantes da Europa de modo geral, que devido a perseguições religiosas, adotaram outros sobrenomes (cristão novo). Um exemplo (mas não se aplica a todas as famílias que possuem este sobrenome) é o sobrenome alemão Seelig ou Selig (que significa "abençoado", tendo um correspondente semelhante em hebraico). Por exemplo, ao se consultar o censo de Mecklenburg-Schwerin de 1890, nota-se que algumas das pessoas com sobrenome "Seelig" relacionados no censo são de religião "Israelitisch", ou seja, Israelita (artigo relacionado: Registros Judaicos na Alemanha).

Em termos de nome, uma particularidade da cultura alemã é de que somente o sobrenome do pai é passado para os filhos, diferente da cultura espanhola ou portuguesa, onde tanto o sobrenome do pai como o da mãe é concedido aos filhos. Outra particularidade, provavelmente ligada à primeira, é de que tanto homens quanto mulheres apresentam nomes compostos, por exemplo, João Frederico (Johann Friedrich) ou Anna Elizabeth. Existem casos de uma mesma pessoa possuir até 4 nomes antes do sobrenome (por exemplo Johann Albert Friedrich Karl Seelig).

Outra particularidade em termos de nomes na cultura alemã é a tendência ao conceder aos recém-nascidos o nome das pessoas da família real (alemã) da época. Por exemplo, nas décadas de 1840 a 1870, muitas meninos recebiam com primeiro nome Johann ou Friedrich e as meninas Johanna. 

O link a seguir apresenta uma extensa lista de sobrenomes germânicos, suas origens e significados - site em inglês (clique aqui). Outro site apresenta o significado de nomes judaicos adotados por judeus alemães (clique aqui

Quando os imigrantes alemães chegaram ao Brasil, muitos nomes e sobrenomes foram "abrasileirados", de modo propositado ou não. Este fato também ocorreu durante a segunda guerra mundial, quando o Brasil, por influência dos Estados Unidos, se tornou opositor da Alemanha. Alguns exemplos de abrasileiramento de nomes/sobrenomes alemães são:


Nome ou Sobrenome Modo abrasileirado
Boursheid Borges
Freitag Freitas
Schneider Xinaider
Elisabeth Isabel
Hermann Germano


Outro fator que ocorreu para o abrasileiramento de alguns sobrenomes era o desconhecimento da língua alemã por parte dos escrivães. Muitas vezes ao ouvir a pronúncia de um sobrenome, o escrivão o escrevia em seus livros de registro da maneira como o mesmo soava, e não como ele realmente era escrito.Por este motivo, é importante saber como o sobrenome procurado é pronunciado no idioma ou dialeto original, pois talvez será desta maneira que ele estará escrito no registro. Considerando que os registros civis só iniciaram suas atividades no Brasil a partir de 1888/1889 (Proclamação da República), os registros anteriores a estes (eclesiásticos) podem ou não serem mais corretos. 

Em termos de registros eclesiásticos, os registros da Igreja Luterana (IELB e IECLB) tendem a sofrer menos com este abrasileiramento não intencional dos nomes/sobrenomes, ou seja, por erro, pois até próximo a metade do século passado, muitos de seus registros ainda eram escritos em alemão, tendo seus pastores estudado na Alemanha ou sendo eles mesmos alemães. Por outro lado, nos registros católicos de colônias alemães no Brasil, geralmente os erros deste tipo são mais comuns, devido à origem portuguesa ou espanhola da maioria dos padres.

O sobrenome por si só já conta um pouco da história da família que o detém. Deste modo, conclui-se que para os descendentes de alemães, somente o fato de se conhecer o significado de seu sobrenome, já traz implicito alguma história familiar.

Por vezes pode ser comum encontrar alemães com sobrenomes aparentemente poloneses. Na Polônia, geralmente os sobrenomes patronímicos possuem os sufixos –iak, –ski ou –wicz. A titulo de exemplo, entre alguns imigrantes alemães que vieram para o Brasil encontramos sobrenomes como: Borowski, Malakowski, Fink, entre outros.


A explicação é de que no decorrer da história ocorreram dois processos que resultaram neste fato:
1) Houve épocas em que muitos alemães migraram para fora das fronteiras de seu país, principalmente por motivos econômicos e religiosos (ver artigo Imigração para Outros Países no Sidebar). Por vezes o destino destes emigrantes era território polonês; ou


2) As fronteiras entre Alemanha e Polônia foram modificadas várias vezes, em territórios fronteiriços que ora pertenciam à Alemanha e ora pertenciam à Polônia. Nos períodos em que este território fronteiriço pertencia à Alemanha, ocorriam migrações em massa de alemães para esta região, de modo a assegurar sua propriedade para a Alemanha. Por vezes ocorriam casamentos entre alemães e poloneses, fazendo com que algumas famílias polonesas adquirissem sobrenomes alemães, ou famílias alemães adquirissem sobrenomes poloneses.


Quando os períodos de ocupação terminavam, nem todos os imigrantes alemães ou poloneses voltavam para dentro das novas fronteiras definidas para seus países, fazendo assim com que dentro da Polônia se encontrem sobrenomes tipicamente alemães, ou dentro da Alemanha sobrenomes tipicamente poloneses. Por fim, algumas destas famílias acabaram emigrando para o Brasil.

Namenskarte

Site, em alemão, cuja base de dados são milhares de documentos antigos. Ao se digitar o sobrenome no campo de busca, o site mostra as cidades onde o sobrenome mais aparece (http://namensindex.vffow.de/namenskarte.php).


Referências

Schauren, D. A., A Busca das Origens - História e Genealogia da Família Schauren, Editora Oikos, 2011, 462 p. 


 **Artigo produzido para a Wiki em Português do Family Search**