Se você não conseguir editar a wiki após o login, você precisará solicitar direitos de edição usando este formulário. Você será notificado assim que tais direitos de edição lhe forem concedidos.

Alemanha, Emigração e Imigração

Da wiki FamilySearch Wiki
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Alemanha Gotoarrow.png Página Inicial

Emigração e Imigração
[editar | editar código-fonte]


Fontes de emigração e imigração relacionam os nomes das pessoas que saem (emigram) ou chegam (imigram) na Alemanha. Essas fontes podem ser listas de passageiros, permissões para emigrar ou registros de passaportes emitidos. As informações contidas nesses registros podem incluir os nomes dos emigrantes, idades, profissões, destinos e locais de origem ou local de nascimento. Às vezes, eles também mostram grupos familiares.

Se você não conseguir encontrar seu ancestral, você poderá encontrar informações de emigração nos registros de seus vizinhos. Pessoas que viviam próximas umas das outras na Alemanha, muitas vezes se estabeleciam juntos no país em que imigraram. Os registros foram criados quando os indivíduos emigraram da Alemanha. Outros registros documentam sua chegada ao país de destino. Esta seção aborda os seguintes temas:


Encontrar cidade de origem do emigrante
Emigração da Alemanha, incluindo o contexto histórico da emigração alemã
Registros de emigrantes alemães em seus países de destino

Encontrar o vilarejo de origem do emigrante

Uma vez ter seguido sua família até o emigrante alemão, você precisa encontrar a cidade ou o vilarejo de onde seu antepassado veio, caso deseje encontrar gerações anteriores. Os registros que você precisará para continuar sua pesquisa, tais como nascimento, casamento e óbito, são mantidos em áreas locais. A Alemanha não tem nenhum índice nacional para esses registros.

Várias fontes podem revelar de onde seu antepassado veio. Você pode aprender sobre o lugar de origem de seu ancestral, conversando com membros mais velhos da família. Outros parentes ou uma biblioteca podem ter documentos que nomeie a cidade ou vilarejo, tais como:

Nascimento, casamento e óbito
Obituários
Revistas
Fotografias
Cartas
Bíblias de Família
Certificados ou registros de Igreja
Requerimento de naturalização e petições
Listas de passageiros
Passaportes

A publicação da Biblioteca de História da Família do Rastreamento das Origens de Imigrantes (34.111) dá mais sugestões para encontrar o lugar de seu antepassado de origem.


Emigração da Alemanha

Um número significativo de emigrantes alemães podem ser encontrados em todos os continentes e em muitos países ao redor do mundo. Milhões de pessoas deixaram a Alemanha em várias ondas de migração. A maioria dos emigrantes deixaram a Alemanha durante os seguintes períodos:

1683-1820. Os emigrantes deixaram a Alemanha e migraram para o Sudeste da Europa, América do Norte, Rússia, Inglaterra, Escócia e Irlanda. Esta onda de emigração foi causada por perseguições religiosas e dificuldades econômicas após a Guerra dos Trinta Anos. Muitos destes migrantes eram protestantes da área do Pfalz/Palatinado na Alemanha que queriam a liberdade religiosa e econômica. Leia mais sobre este assunto em Alemanha, Emigração antes de 1820

1820-1871. Esta onda de emigração foi causada principalmente por dificuldades econômicas, incluindo desemprego e quebra de safras. Muitos alemães também deixaram para evitar guerras e serviço militar. Em alguns casos, as entidades governamentais incentivaram os cidadãos a emigrar. A maioria desses emigrantes eram de Rheinland, Hessen, Baden, Württemberg, e Elsass-Lothringen.

1871-1914. O número de emigrantes aumentou drasticamente durante esse período de tempo. A emigração tornou-se mais acessível, e os problemas políticos e econômicos continuaram. Emigrantes vieram de todas as áreas da Alemanha, incluindo um grande número de áreas do leste da Prússia.
Os emigrantes incluíam não apenas alemães étnicos, mas também poloneses e judeus.

1914 a 1945. Apesar do sistema de quotas da emigração alemã para os EUA ter sido reduzido de forma significativa, não parou completamente. Os emigrantes eram dissidentes políticos, judeus e outros que estavam desconfortáveis com a evolução pós-Primeira Guerra Mundial.

Os registros que documentam a emigração da Alemanha incluem listas de passageiros, passaportes, permissões para emigrar, índices de emigração alemã e francesa, listas de emigração publicadas, registro policial registros, e outros documentos de embarque, bem como fontes nos novos países do emigrante.

Listas de embarque de passageiros

Os primeiros imigrantes alemães desceram o Rio Reno e deixaram a Europa a partir de Rotterdam, na Holanda. Como o tráfego de passageiros aumentou, foram utilizados os portos holandeses, belgas, franceses e dinamarqueses. De 1850-1891, 41 por cento dos emigrantes alemães europeus ocidentais saíram através do porto de Bremen (Alemanha), 30 por cento através de Hamburgo (Alemanha), 16 por cento através de Le Havre (França), 8 por cento, através de Antuérpia (Bélgica), e 5 por cento através de vários portos na Holanda. Apenas alguns alemães emigraram de outros portos europeus. Sul e oeste Alemães tendiam a emigrar através dos portos de Bremen ou Le Havre. Alemães do norte e alemães orientais tendiam a sair através de Hamburgo.

Os registros de embarques desses portos são chamadas de listas de passageiros. A informação dada em listas de passageiros varia, mas geralmente inclui o nome do emigrante, idade, profissão, última residência ou local de nascimento, e destino. Os registros também nomeiam o navio e a data de embarque. As listas de embarque mais significativas de passageiros para os emigrantes alemães são dos seguintes portos:

Bremen. Infelizmente, as listas de embarque de passageiros do porto de Bremen foram destruídas. As listas de 1847-1871 foram parcialmente reconstruídas. Cerca de 20 a 25 por cento dos passageiros de Bremen chegando a Nova York, durante este período de tempo são indexados com seu lugar de origem na fonte abaixo:

Zimmerman, Gary J., Marion e Wolfert. Imigrantes alemães: Listas de passageiros com destino de Bremen para Nova York. 4 vols. Baltimore: Publicação Genealógica, 1985, 1986, 1988, 1993. (FHL livro 974,71 W3g;número computador 377998)

Um antigo parceiro comercial de Bremen foi o porto de Baltimore, Maryland. Muitos alemães indo para os Estados Unidos através de Bremen desembarcaram em Baltimore. As listas de chegada de passageiros à Baltimore estão indexadas. Hamburgo. As mais significativas listas sobreviventes de embarque de passageiros são de Hamburgo. Os registros de embarque original de Hamburgo estão no Arquivo do Estado [Staatsarchiv] em Hamburgo. Cada emigrante de todos os países que deixaram Hamburgo entre 1850 e 1934 deve estar nestas listas de passageiros. Mais importante ainda, estas listas mostram a cidade natal de cada um dos passageiros, e as listas estão indexadas.

Hamburgo. As listas sobreviventes de embarque de passageiros mais significativas são de Hamburgo. Os registros de embarque original de Hamburgo estão no Arquivo do Estado [Staatsarchiv] em Hamburgo. Cada emigrante de todos os países que saíram de Hamburgo entre 1850 e 1934 deve estar nestas listas de passageiros. Veja Alemanha, Hamburgo, Lista de Passageiros nesta wiki.

Mais importante ainda, estas listas mostram cada cidade natal dos passageiros, e as listas estão indexadas. Parte do índice da lista de passageiros de Hamburgo estão disponíveis no Ancestry.com.

Para a maioria dos anos, o índice é manuscrito em caracteres góticos e em ordem alfabética apenas pela primeira letra do sobrenome. Um índice separado dos embarques foi criado a cada ano. Há também um índice de quinze anos compilado de 1856-1871. As próprias listas de passageiros estão em ordem alfabética 1850-1855.

Os registros da lista de passageiros de Hamburgo e índices foram microfilmados e estão disponíveis na Biblioteca de História da Família. Estão relacionados na Pesquisa de localidade do catálogo em:

ALEMANHA, HAMBURGO, HAMBURGO

EMIGRAÇÃO E IMIGRAÇÃO

Para mais informações sobre como utilizar as listas de passageiros de Hamburgo, consulte o guia de recursos das listas de passageiros de Hamburgo da Biblioteca de História da Família (34047)

Le Havre. As únicas listas disponíveis para o porto francês de Le Havre são listas de tripulantes e passageiros em navios de carga comerciais. As embarcações de passageiros não estão incluídos. Alguns emigrantes alemães estão incluídos nesses registros, mas a maioria dos alemães, que partiu de Le Havre não estão registradas. Estas listas não estão indexadas. A Biblioteca de História da Família filmou as listas de passageiros dos navios de carga comercial de Le Havre dos anos 1750-1886. Os números do filme estão relacionados na Pesquisa de localidade do catálogo em:

FRANCE, SEINE-MARITIME, LE HAVRE - REGISTROS DE NEGÓCIOS E COMÉRCIO

Antuérpia. A biblioteca tem apenas as listas de passageiros de emigrantes que navegaram de Antuérpia, em 1855. Este ano é apenas uma pequena percentagem do total. Muitos emigrantes alemães navegaram deste porto. O seguinte é um índice das listas de passageiros em Antuérpia:

Hall, Charles M.The Antwerp Emigration Index. Salt Lake City, Utah, USA: Heritage International, 1983?. (FHL book Ref 949.3 W22h; FHL film 1,183,596; número de computador 14470) A Biblioteca também possui registros de cidadãos estrangeiros residentes em Antuérpia antes de Emigração: Vreemdelingendossiers, 1840-1930; indexados.

Holanda. A Biblioteca de História da Família tem cópias das listas de passageiros do porto de Rotterdam para os anos 1900-1938. (FHL ficha 6,109,126-6,109,217; número computador 758.018) No entanto, a maioria dos alemães que viajaram através de portos holandeses foi antes de 1820. Pré-1807 As chegadas ao porto de Filadélfia incluem muitos alemães que saíram via portos holandeses (ver o livro de Strassburger e Hinke, relacionados mais adiante nesta seção deste esboço).

Copenhagen. A biblioteca tem as listas de passageiros de emigrantes de Copenhagen, Dinamarca, 1868-1940. Apenas alguns alemães aparecem nessas listas, que são alfabéticas por intervalos de um a cinco anos. Os números do filme estão na Pesquisa de localidade da Biblioteca de História da Família
Catálogo em:

DINAMARCA,  

EMIGRAÇÃO E IMIGRAÇÃO

Índice online em:http://ddd.sa.dk/


Passaportes[editar | editar código-fonte]

Cada estado ou cidade tinha as suas próprias leis sobre passaportes. Em muitos casos, os pedidos de passaportes e a documentação de apoio foram preservados. Esses registros muitas vezes dão informações como o nome do emigrante, data de nascimento ou idade, naturalidade, ocupação, última residência, a verificação da identidade e descrição física.

Hamburgo. Residentes de Hamburgo tinham que solicitar um passaporte para emigrar. Alguns emigrantes de outras partes da Alemanha, pararam em Hamburgo o tempo suficiente para se tornarem residentes. Se eles eram residentes, eles podem estar nos registros de passaporte. Os pedidos de passaporte de Hamburgo foram microfilmados para os anos 1851-1929 e incluem índices. Eles estão na Pesquisa de Localidade do Catálogo da Biblioteca de História da Família em:

ALEMANHA, HAMBURGO, HAMBURGO

EMIGRAÇÃO E IMIGRAÇÃO

Stuttgart (Wörttemberg). A Biblioteca de História da Família indexou os registros de passaporte da área de Stuttgart dos anos 1845-1920. Este índice dá geralmente a cidade natal e destino do emigrante. Nomes que começam com as letras de A a R estão no FHL filme 1125018, e S a Z estão no filme 1125019, número 354364 computador. Muitos dos indivíduos relacionados eram migrantes internos que vieram de outra parte do Wörttemberg e permaneceram em Wörttemberg. A maioria dos nomes são do início de 1900. Para encontrar o número do microfilme do visto e passaporte original, procure na pesquisa de Localidade do Catálogo da Biblioteca de História da Família em:

ALEMANHA, WÖRTTEMBERG, STUTTGART - EMIGRAÇÃO E IMIGRAÇÃO


Registros de permissão para emigrar[editar | editar código-fonte]

Os alemães tinham que solicitar permissão para emigrar da maioria das áreas. A Biblioteca de História da Família tem esses registros de solicitação para vários estados e cidades, incluindo Baden, Rheinland, o Pfalz, e Zwickau. Por exemplo, a biblioteca tem microfilmados os registros de solicitação de emigração de Wörttemberg. Eles relacionam o local de nascimento do emigrante, residência, ativos e endividamento. A maioria dos registros de Wörttemberg consistem em solicitações e acompanhamento dos documentos que foram recolhidos por órgãos distritais. Esses registros começam em meados de 1700, com a maioria a partir de 1800. A maioria dos distritos também têm índices manuscritos para meados de 1800. Seis volumes publicados de índices estão disponíveis, o que até agora cobrem 35 dos 64 distritos:

Schenk, Trudy, and Ruth Froelke. The Wuerttemberg Emigration Index. Salt Lake City, Utah, USA: Ancestry, 1986-. (FHL book Ref 943.47 W22st; número computador 405.643) Disponível em: www.ancestry.com


Índice de cartão de emigração alemã[editar | editar código-fonte]

Para os emigrantes alemães existem índice de cartão, dezenas de índices de cartão da emigração alemã. Por exemplo, a Biblioteca de História da Família tem os índices de cartão microfilmados dos emigrantes de Hessen. Os índices são divididos em cinco seções por vários períodos de tempo ou áreas de Hessen, cada um em ordem alfabética. Outros índices de cartão na biblioteca incluem o seguinte:

  • De Baden 1660-1900
  • De Pfalz 1500-1900
  • Para o Império Austro-húngaro 1750-1943
  • Para a Rússia 1750-1943

Há índices de cartão de refugiados da II Guerra de muitas partes da Europa central e oriental. Esses índices estão relacionados na Pesquisa de localidade do Catálogo da Biblioteca de História da Família sob a região da qual os refugiados fugiram.

Periódicos publicam muitos registros de emigração. A fonte seguinte é um índice de cartão para os emigrantes que foram relacionados no periódico Deutsches Familienarchiv (Arquivo de Famílias Alemãs):

Emigrantes para e da Alemanha a partir do século 18 ao século 20. Salt Lake City, Utah: Sociedade Genealógica de Utah, 1976. (FHL filme 1.125.001, o número do computador 354.655).

Sociedades genealógicas frequentemente compilam índices de cartão de emigrantes da região alemã que elas se especializam Para detalhes sobre como entrar em contato com essas sociedades (para saber se eles têm um índice de emigração), consulte a seção Sociedades deste esboço.


Índices de emigração francesa[editar | editar código-fonte]

Muitos alemães ou viveram em Elsass-Lothringen (Alsácia-Lorena) ou passaram por ela para emigrar. As seguintes fontes ajudam a identificar muitos deles.

Índice de Emigração da Alsácia A Biblioteca de História da Família compilou uma lista de pessoas que emigraram de ou através da Elsass-Lothringen 1817-1866. Cerca de metade dos nomes são do sul da Alemanha. O índice alfabético dá o nome do emigrante, idade, profissão, local de origem, de residência, destino, data de passaporte e fonte número do microfilme. Nem todos os que emigraram via Alsácia está neste índice. O índice é mais fácil de encontrar em Pesquisa Autor / Título do Catálogo da Biblioteca de História da Família sob Índice Emigração Alsácia. Também é relacionado como:

França. Ministério do Interior Registres des l'émigration, 1817-1866 (Índice de emigrantes, 1817-1866). Salt Lake City, Utah: Genealógico Society of Utah, 1977. (FHL filmes 1.125.002-7; número computador 403.094).

Alsácia Livros de emigração. Cornelia Schrader-Muggenthaler utilizou o Índice de emigração de Alsácia, outros registros de emigração, listas de passageiros, genealogias, periódicos de genealogia e artigos de jornais para compilar o seguinte índice:

Schrader-Muggenthaler, Cornelia. O Livro da Emigração da Alsácia. 2 vols. Apollo, Penn:. Closson Press, 1989-1991. (FHL livro 944.38W2s;. 549007 número computador) Este índice tem mais de 20 mil entradas, principalmente de 1817-1870 de emigrantes.

O seguinte, é também um excelente livro sobre o assunto:

Burgert, Annette Kunselman. Emigrantes século XVIII, da Alsácia do Norte para a América. Camden, Maine: Picton Press, 1992. (FHL livro 974.8 B4pgp v. 26, número 684917 computador).


Registros de Emigração Publicados[editar | editar código-fonte]

Listas de emigrantes são frequentemente publicadas. Estes costumam focar nos emigrantes de uma cidade, principado, ou estado. Um exemplo está relacionado abaixo:

Gruhne, Fritz. Auswandererlisten des ehemaligen Herzogtums Braunschweig 1846-1871 (Lista de emigrantes do ex-Ducado de Braunschweig, 1846-1871). Wolfenbüttel: Braunschweigischer Geschichtsverein, 1971. (FHL livro 943,59 W29g, filme 1045468 item 10; número computador 310002.) Esta lista não inclui a cidade de Braunschweig e do distrito de Holzminden

Dezenas de outras listas de emigrantes publicadas estão relacionados na Pesquisa de localidade do Catálogo da Biblioteca de História da Família sob a cidade, estado ou província, do qual os emigrantes vieram. Uma bibliografia parcial de fontes de emigração alemã está na Enciclopédia de Pesquisa Genealógica germano-americana de Smith, páginas 207-232 (ver seção Para leitura adicional deste esboço).


Listas Policiais ou Registros[editar | editar código-fonte]

A polícia alemã começou a manter os registros de residência de cada pessoa na década de 1840. Os cidadãos eram obrigados a dizer à polícia quando eles se mudavam. Esses registros são debatidos posteriormente em "População"

Outros Registros de Embarque[editar | editar código-fonte]

Vários outros registros foram geralmente criados assim que os emigrantes deixaram a Alemanha. Registros de Igreja (Anotações). Muitas vezes, o pastor local ou sacerdote anotou as partidas das pessoas da paróquia nos registros junto ao nascimento ou registros de casamento Às vezes, essas notas incluem o ano de
emigração e os nomes de quem foi com a pessoa. Onde registros familiares foram mantidos, a partida foi, por vezes, foi anotada lá. Consulte a seção de Registros da Igreja deste esboço para mais informação.

Registros de Sucessões de parentes que ficaram. Inventários e testamentos de parentes que ficaram na Alemanha ocasionalmente mencionam seus parentes em terras estrangeiras. Para mais informações, consulte a seção de Registros de Sucessões deste esboço.

Anúncios de jornal. Os jornais locais frequentemente falavam dos residentes em sua área movendo-se para outras terras. Consulte a seção Jornal deste esboço para obter mais informações.

O Registro de Emigrantes Germânicos (edição 1992) os índices de emigrantes alemães relacionados no jornal Deutscher Reichsanzeiger 1820-1914. Este 277.000 nomes, 23 microfichas índice mostram o nome, ano do evento, data de nascimento, data de emigração, destino e última residência conhecida. Eles não dão o lugar de origem, mas você pode obter o local de origem por uma taxa escrevendo para:

Registro de Emigrantes Germânicos
Postfach 10 08 22
51608 Gummersbach
ALEMANHA

Biblioteca de História da Família tem a edição de 1991 do Registro de Emigrantes Germânicos:

Registro de Emigrantes Germânicos. Diepholz: [sn], 1991. (FHL ficha 6.312.192; número computador 445448) Esta fonte é composta por 10 microfichas e contém cerca de 118 mil nomes.


Localizando os Registros de Emigração da Alemanha[editar | editar código-fonte]

A Biblioteca de História da Família tem registros de emigração ou índices de quase todos os estados alemães e vários distritos ou cidades alemãs. Eles estão relacionados no catálogo sob o estado particular, província ou cidade na Alemanha, onde foram feitos os registros.
Verifique a Pesquisa de Localidade do catálogo em:

ALEMANHA, [ESTADO] - EMIGRAÇÃO E IMIGRAÇÃO
ALEMANHA, [Estado], [CIDADE] - EMIGRAÇÃO E IMIGRAÇÃO

Registros de emigrantes alemães em seus países de destino[editar | editar código-fonte]

Muitas vezes, as melhores fontes de informação sobre os emigrantes alemães são encontrados no país ao qual imigraram. Os registros de imigrantes alemães podem relacionar suas cidades de origem e outras informações valiosas. Para saber mais sobre esses registros, ver o esboço de pesquisa para o país onde seu antepassado se estabeleceu e o esboço de pesquisa do rastreamento da origem do imigrante.

Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Os primeiros imigrantes alemães para os Estados Unidos (1683-1820) se estabeleceram principalmente na Pensilvânia. Aqueles na segunda onda de migração (1820-1871) muitas vezes se estabeleceram em Ohio, Wisconsin, Indiana, Missouri e Texas. Durante a terceira onda (1871-1914), muitos imigrantes alemães se estabeleceram em Nova York, Chicago, St. Louis, ou outras grandes cidades.

Os Imigrantes alemães da Pomerânia frequentemente foram para Wisconsin. Grande número também se estabeleceu em Illinois, Minnesota e em outros estados do Centro-Oeste. Os Imigrantes da área do Palatinado normalmente se estabeleciam na Pensilvânia. O livro abaixo descreve a história e o processo da migração da Alemanha para os Estados Unidos:

Wellauer, Maralyn Ann. Imigração Alemã para a América no século XIX: Um Guia do genealogista. Milwaukee: Raízes International, 1985. (FHL livro 943 W2we; número computador 124557)

Os registros de imigrantes disponíveis nos Estados Unidos incluem o seguinte:

Listas de chegada de passageiros. A maioria dos imigrantes alemães para os Estados Unidos chegaram a Nova York. A Biblioteca de História da Família tem cópias em microfilme dos registros de chegada e os índices deste e de outros portos. Veja o Esboço da Pesquisa nos Estados Unidos por mais informações sobre a emigração e registros de imigração dos Estados Unidos. Infelizmente, poucos registros de chegada aos Estados Unidos dão a cidade de origem específica do imigrante.


As listas de passageiros a Nova York, 1892-1924, estão disponíveis online, os índices, em www.ellisisland.org; as listas de passageiros de 1851-1891 estão disponíveis no www.ancestry.com.

Listas de chegada de passageiros publicadas. Os registros de chegada de muitos imigrantes alemães para os Estados Unidos estão parcialmente indexadas. Em meados de 1994 havia 36 volumes relativos aos anos de 1850-1880. Cada volume está indexado individualmente:

Glazier, Ira A. e P. William Filby. Alemães para a América. Em curso. Wilmington, Del.: Recursos acadêmicos, 1988 -. (FHL livro Ref 973 W2ger; número computador 465.274).

A seguinte bibliografia contém mais de 2.500 listas publicadas de emigrantes e imigrantes:

Filby, P. William. Bibliografia da Lista de Passageiros e Imigração, 1538-1900. Segunda Edição Detroit: Gale Research, 1988. (FHL livro 973 W33p 1988;. número computador 482.522) Mais de 1.600 dessas listas estão indexadas em P. William Filby, Índice de Listas de Passageiro e Imigração, 12 + vols. (Detroit: Gale Research, 1981 -; FHL livro Ref 973 W33p; número computador 122.828). Isso não é o índice oficial dos EUA listas de chegada. Muitos dos nomes são de fontes publicadas pós-1820.

Duas das centenas de registros de imigração alemã indexados em Filby estão relacionados abaixo:

Jones, Henry Z., Jr. As famílias Palatinas de Nova York: Um Estudo dos imigrantes alemães que chegaram em Colonial, Nova York em 1710. Universal City, Califórnia: Jones, 1985. (FHL livro 974,7 D2j;. número computador 362903)

Strassburger, Ralph Beaver, e William John Hinke. Pioneiros alemães da Pensilvânia: Uma publicação das listas originais de chegadas no Porto de Filadélfia 1727-1808. 2 vols. Norristown, Penn:. Pennsylvania German Society, 1934. 3 vols. Reimpressão. Baltimore: Genealogical Publishing, 1966. (FHL livro 974,8 F2st 1966, 1934 edição em filmes de 1.035.683 item 5 e 1.321.373 item 3; ficha 6,057,507-9; número computador 139222

Por favor, observe que as listas de imigração publicadas são sujeitas a erros e deverão ser verificadas nos registros originais.

Registros de Censo. O censo de 1920 dos Estados Unidos às vezes relaciona a província ou cidade de nascimento das pessoas (ou seus pais) que nasceram na Alemanha. Alguns censos estaduais, como o censo de 1925 de New York (o que dá a data e local de naturalização), contêm mais informações do que os censos federais.

Registros Militares. Muitos imigrantes alemães serviram no exército dos Estados Unidos, especialmente na Guerra Civil Americana. Seus registros militares podem ajudar a identificar suas cidades de origem alemã. Registros de soldados alemães que serviam como mercenários britânicos na Revolução Americana são descritos na seção registros militares deste esboço.

Jornais. A chegada de imigrantes alemães são ocasionalmente mencionada nos jornais, especialmente jornais de língua alemã. Veja a Seção "jornais" deste esboço para uma bibliografia de jornais de língua alemã.


Sudeste da Europa[editar | editar código-fonte]

A partir de 1722, os monarcas Austro-húngaro encorajavam os alemães para se estabelecerem em suas terras, especialmente ao longo da fronteira devastada com os turcos. As Colônias desenvolveram-se no que mais tarde tornou-se a Hungria, Romênia e Iugoslávia. Inicialmente, o dobro dos alemães mudou-se para esta área como foi para a América. Mais referências e ferramentas de pesquisa para localizar alemães que emigraram para o Sudeste da Europa são
encontrados online em:

Após a Segunda Guerra Mundial, a maioria voltou para a Alemanha ou Áustria, mas muitos também se mudaram para os Estados Unidos, Canadá, Austrália, Brasil e outros países.

Abaixo estão relacionados alguns índices que podem ajudá-lo a encontrar alemães do Sudeste da Europa:

Deutsches Ausland-Institut (Stuttgart). Auswandererkartei der Deutschen und nach Ungarn Russland, 1750-1805 (Emigração
Índice dos alemães na Hungria e Rússia, 1750-1805). Salt Lake City, Utah: Sociedade Genealógica de Utah, 1988. (FHL filmes de 1.340.060 para 1.340.061 artigo 5 o item 2;. número computador 516675)

Deutsches Ausland-Institut (Stuttgart). Kartei Auswanderer nach der Ungarn, 1750-1945 (Índice de emigrantes para a Hungria, 1750-1945). Salt
Lake City, Utah: Sociedade Genealógica de Utah, 1988. (FHL filme 1.552.795 itens 1-2; número computador 516660)

Deutsches Ausland-Institut (Stuttgart). Kartei der Deutschen im Ausland lebenden, 1940-1945 (Índice de alemães em países estrangeiros, 1940-1945). Salt Lake City, Utah: Sociedade Genealógica de Utah, 1988. (FHL filmes 1.340.062-5, 1.197.320-23, 1.197.492-7; número computador 516.816).

Brandt, Bruce. Onde procurar antepassados de língua alemã difíceis de encontrar na Europa Oriental: índice de 19.720 sobrenomes em 13 livros, com fundo histórico em cada um. Segunda Edição Baltimore: Clearfield Co., 1993. (FHL livro 943 H22B; 716691 número computador) Este contém apenas sobrenomes.


Rússia[editar | editar código-fonte]

Em 1763 Catarina, a Grande da Rússia ofereceu terra livre, sem impostos por 30 anos, liberdade de religião, e outros incentivos para encorajar os alemães a se estabelecerem em seu vasto domínio pouco povoado. Dezenas de colônias alemãs foram criadas e cresceram até a Primeira Guerra. Muitos alemães russos mudaram-se para os Estados Unidos, Canadá, ou América do Sul no início de 1874.

O seguinte é a fonte mais valiosa para a pesquisa de famílias alemãs da Rússia:

Stumpp, Karl. A emigração da Alemanha para a Rússia nos anos 1763-1862. Tübingen: Stumpp, 1972. Reimpressão. Lincoln, Nebraska:
Sociedade Histórica Americana de alemães da Rússia de 1978. (FHL livro 943 W2sk, filme 1183529; 1972 edição em ficha 6.000.829; número computador 63974.) As partes mais úteis desta fonte para genealogistas são as listas alfabéticas de imigrantes alemães, que são divididas em três seções: imigrantes da região do Volga (pp. 117-165), menonitas na Rússia do Sul e Samara (pp. 167-204), e imigrantes da região do Mar Negro (exceto menonitas) (pp. 204-497).

Muitas fontes online dos alemães da Rússia encontram-se na Biblioteca Digital de Odessa: http://www.odessa3.org/
A igreja protestante alemã [Evangelische Kirche] da Rússia foi organizada em consistórios com sede em São Petersburgo. A Biblioteca de História da Família tem microfilmados os 276 volumes das transcrições dos registros civis dos consistórios da Igreja nos arquivos históricos do Estado Russo. Esses registros são de colônias alemãs em Ingermanland (em torno de São Petersburgo), perto do Mar Negro, e na Bessarábia dos anos 1833-1900. Eles estão na Pesquisa de Localidade do Catálogo da Biblioteca de História da Família em:

IMPÉRIO RUSSO, [PROVÍNCIA], [CIDADE], - REGISTROS DA IGREJA

Os registros de alemães protestantes também estão relacionados na Pesquisa por Assunto do catálogo em:

ALEMÃES - RÚSSIA - REGISTROS CIVIS E REGISTROS DA IGREJA

Além disso, várias organizações, como a Sociedade Americana de História dos alemães da Rússia e Patrimônio dos alemães da Rússia Sociedade, vai ajudar genealogistas. Mais informações sobre essas organizações é encontrada na página wiki Alemanha, Sociedades.

Web site para AHSGR:

ahsgr.org

Web site para Sociedade do Patrimônio dos Alemães da Rússia:

grhs.org


Outros países[editar | editar código-fonte]

Registros de imigração semelhantes e índices estão disponíveis na biblioteca da maioria das nações e estados onde os alemães se estabeleceram. Eles são relacionados sob a nova nação ou estado na Pesquisa de localidade do Catálogo da Biblioteca de História da Família em:

[NAÇÃO ou ESTADO] - EMIGRAÇÃO E IMIGRAÇÃO

Você pode olhar na Pesquisa por Assunto do catálogo em:

ALEMÃES - [NAÇÃO ou ESTADO] ALEMÃES RUSSOS


Artigos wiki descrevendo coleções online podem ser encontrados em:

Alemanha, Bremen, Listas de Passageiros (Registros Históricos do FamilySearch)
Alemanha, Hesse, Darmstadt, Registros da Cidade (Registros Históricos do FamilySearch)

DICIONÁRIOS GEOGRÁFICOS[editar | editar código-fonte]

Um dicionário geográfico é um dicionário de nomes de lugares. Os dicionário geográficos descrevem cidades e vilas, paróquias e municípios, estados e províncias, rios e montanhas, e outras características geográficas. Eles geralmente incluem apenas os nomes dos lugares que existiam na época em que o dicionário geográfico foi publicado. Os nomes de lugares geralmente são relacionados em ordem alfabética, semelhante a um dicionário.

Dicionários geográficos também podem fornecer informações adicionais sobre cidades, tais como:

O tamanho da população.
As diferentes denominações religiosas.
As escolas, faculdades e universidades.
Grandes obras de fabricação, canais, portos e estações ferroviárias.

Os dicionários geográficos podem ajudá-lo a encontrar os lugares onde sua família viveu e determinar as jurisdições civis e da igreja sobre esses lugares. Por exemplo, Falkenberg, na Alemanha, era uma pequena vila no estado de Mecklenburg-Schwerin. que tinha seu próprio escritório de registro civil, mas os protestantes assistiam a paróquia evangélica em Dömitz. Se o seu antepassado era um protestante de Falkenberg, um dicionário geográfico pode dizer onde procurar registros civis e da igreja do seu antepassado.

Alguns lugares na Alemanha têm os mesmos nomes ou nomes semelhantes. Você vai precisar usar um dicionário geográfico para identificar a cidade específica onde o seu antepassado viveu, o distrito do governo em que estava, e as jurisdições onde foram mantidos registros sobre ele ou ela.

Os dicionários geográficos também podem ajudar a determinar as jurisdições do município usados no Catálogo da Biblioteca de História da Família.


Encontrar nomes de lugares no Catálogo da Biblioteca de História da Família[editar | editar código-fonte]

Nomes de lugares alemães utilizados na Pesquisa de localidade do Catálogo da Biblioteca de História da Família são baseados no Império Alemão, tal como existia em 1871. Para encontrar o estado ou província que a cidade está arquivada no catálogo, use "ver" referências sobre as primeiras microfichas do catálogo para a Alemanha. Se você estiver usando o catálogo em CD, use a busca Procurar localidade. O computador irá encontrar um lugar com o nome que você escolher, se a biblioteca tem registros deste lugar.

A Biblioteca de História da Família usa um dicionário geográfico como o guia padrão para relacionar lugares alemães no catálogo. Independentemente das diferentes jurisdições que um local pode ter tido em tempos diferentes, todos lugares alemães estão relacionados pelas jurisdições utilizadas na seguinte referência: Uetrecht, E. Meyers Orts-und Verkehrs-Lexikon des Deutschen Reichs (Dicionário Geográfico Comercial Meyers do Império Alemão). Quinta Edição Leipzig: Instituto Bibliográfico, 1912-3. (FHL livro Ref 943 E5mo; filmes 496,640-1; ficha 6,000,001-29;. número computador 282809) Este livro lista os nomes dos lugares que existiam na Alemanha 1871-1918. Dá o nome do estado ou província onde cada cidade estava localizada naquele momento. O dicionário geográfico está escrito em gótico, que pode ser difícil de ler.

O primeiro volume deste dicionário geográfico contém uma explicação das muitas abreviaturas de uso do dicionário geográfico. Por exemplo, Meyers indica onde encontrar o escritório de registro civil [Standesamt]. Se uma vírgula ou ponto e vírgula segue a sigla StdA (Standesamt), a cidade tinha seu próprio escritório de registro civil. Se ele não tem uma vírgula ou ponto e vírgula, o nome da cidade que segue a sigla e tem uma vírgula ou ponto e vírgula depois é a cidade onde o escritório de registro civil é encontrado.