5 Idéias para Ajudar as Pessoas a Encontrar Alegria no Templo e no Trabalho de História da Família

janeiro 9, 2019  - by 

Você já viu os olhos de alguém brilhar ao adicionar um ancestral à sua Árvore Familiar? Ou, já sentiu o poder do testemunho de alguém sobre o trabalho no templo para um ente querido que está além do véu? Estas são algumas das experiências mais doces que poderemos ter ao ajudar as pessoas com o trabalho no templo e a história da família.

Por outro lado, a maioria de nós, provavelmente, já teve uma experiência oposta ao falar sobre esse trabalho.

Como podemos despertar o interesse, o entusiasmo e ajudar outros a sentirem alegria em fazer a história da família? Aqui estão cinco idéias:

 

 

1. Lembre-se de que a história da família é um trabalho espiritual.

A oração desempenha um papel fundamental. Ao procurar pessoas para ajudar, peça ao Senhor que o conduza àquelas que estão preparadas. (Nesse aspecto, ensinar alguém a fazer a história da família é muito parecido com compartilhar o Evangelho). Você também pode orar para que seus corações sejam tocados e elas tenham o desejo de fazer a sua história familiar.

O Espírito também desempenha um papel fundamental. Ore para que o Espírito o guie durante a preparação do plano de aula e, quando estiver com aqueles que está ajudando. Siga o Espírito e encoraje as pessoas a fazerem o mesmo. Quando focamos no Espírito as dúvidas e medos desaparecem. Isso também nos lembra de que não devemos confiar em nossa própria sabedoria. O Espírito faz toda a diferença na história da família.

2. Personalize a experiência

Antes de se encontrar com as pessoas, entenda quais são seus objetivos. Você poderá se surpreender! Adapte seu plano de aula para atingir as metas delas. Ensine de uma maneira que compreendam e, de uma forma interessante. Mantenha as lições curtas para não sobrecarregá-las.

Encontre alegria no trabalho do templo e de história da família.telescope-1945863 John, um excelente pesquisador holandês, cuidadosamente preparou um plano de aula para sua próxima reunião com Jason. Ele então pediu a um outro ajudante para revê-lo. Seu inspirado feedback levou John a alterar seu plano original, que se concentrava em habilidades de pesquisa e tradução. O novo plano focou em ajudar Jason a entender o contexto da vida de seus antepassados. Também incluiu histórias para ajudar Jason a se conectar com eles.

Quando John e Jason se encontraram, eles sentiram o Espírito enquanto falavam sobre a família de Jason. Ouvir as histórias de seus antepassados tocou o coração de Jason e aumentou seu desejo de fazer o trabalho do templo. Antes da reunião terminar, ele já tinha acrescentado nomes à sua Árvore Familiar e imprimido cartões para o templo.

3. Concentre-se nas experiências de descoberta

Fazer uma descoberta em história da família pode conectar as pessoas poderosamente com seus antepassados. Isto também os ajuda a sentir alegria em fazer o trabalho do templo por seus antepassados.

Jill estava servindo como diretora do centro de história da família quando foi contactada por um membro de sua estaca, o irmão Westwood. Ele sentiu-se inspirado a pedir ajuda para encontrar um nome para uma jornada pioneira. Ao mesmo tempo, não acreditava que Jill encontraria alguma coisa porque sua árvore estava completa.

telescope-1995743Compartilhe a alegria do trabalho no templo e de história da família. Antes de Jill começar a procurar, ela fez uma sincera oração, pedindo para encontrar alguém que quisesse receber as bênçãos do templo. Não muito tempo depois, foi direcionada para uma família onde faltava uma criança na Árvore Familiar. Pesquisando online, localizou a lápide dessa criança — uma menina chamada Winnie. Ela então, procurou o jornal local e achou um belo poema em memória de Winnie escrito por seu pai que estava sofrendo.

Quando Jill se encontrou com o irmão Westwood, ela o guiou através da mesma experiência que teve para encontrar essa filha desaparecida, a sua lápide e o poema. O irmão Westwood ficou profundamente emocionado. Juntos, eles conseguiram adicionar Winnie à Árvore Familiar para que ela pudesse ser selada aos seus pais.

O irmão Westwood compartilhou mais tarde seus sentimentos sobre esta experiência: “O que está impresso indelevelmente em meu coração é o espírito que senti no dia em que encontrei Jill na biblioteca da história da família e ela pôde me mostrar como encontrou Winnie e, como imprimir o cartão para que ela pudesse ser selada aos seus pais. Ao examinarmos vários sites e recursos de pesquisa, senti que estava começando a conhecer meus ancestrais e meu coração estava se voltando para eles. “(Veja a apresentação do RootsTech “família no centro: fazendo do CHF um lugar sagrado)”.

4. Guie, mas não assuma

Às vezes, quando ajudamos outros com a história da família, somos tentados a fazer além do que deveríamos. Por exemplo, podemos adicionar nomes e fontes à Árvore Familiar ao invés de deixar que eles aprendam fazendo o próprio trabalho. Ou, se não forem rápidos o suficiente no computador, podemos pegar o mouse e fazer por eles.

Lola pediu ajuda de um consultor, apenas para vê-lo assumir o trabalho e fazer tudo. Ele se moveu rapidamente de tela em tela e ela não sabia dizer o que ele estava fazendo ou por quê. Depois percebeu que não tinha aprendido nada que pudesse ajudá-la a fazer o seu trabalho de história da família.

Nosso ensinamento é mais eficaz quando ajudamos as pessoas a ganhar experiência e confiança para que possam encontrar seus próprios nomes de família. Pode levar tempo e paciência. Mas elas sentirão mais alegria no trabalho de história da família se forem participantes e não apenas espectadoras.

Como encontrar alegria no trabalho do templo e da história da família.

 

telescope-1972093

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

5. Enfatize as bênçãos

Em um discurso de Conferência Geral de abril de 2017, o Presidente Henry B. Eyring ensinou: “Ao seguirem a inspiração de procurar conhecer sua história da família, vocês podem vir a descobrir que um parente distante compartilha algumas das mesmas feições que vocês, ou de seu interesse por livros, ou de seu talento para o canto. Isso pode ser muito interessante e pode até nos prover entendimento de quem somos. Mas, se pararmos por aí, sentiremos que algo está faltando. Isso acontece porque, para reunir e unir a família de Deus, é preciso mais do que apenas sentimentos calorosos. São necessários convênios sagrados feitos em associação a ordenanças do sacerdócio.” (“Reunindo a família de Deus”, Liahona, maio de 2017, p. 21).

Assim como o batismo não é completo sem confirmação, o trabalho de história da família não está completo sem as ordenanças do templo. A maior alegria para nós e nossa família vem por meio dos convênios sagrados disponíveis no templo.

À medida que as pessoas experimentam a alegria desse trabalho, seus testemunhos se fortalecem. Elas sentirão um maior desejo de tornar esse trabalho do templo e história da família uma prioridade em suas vidas. Ao fazê-lo, estarão ajudando a reunir a família de Deus e trazendo bênçãos incontáveis para suas famílias em ambos os lados do véu.

 

por Kathryn Grant

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários