10 Passos para Escrever as Histórias de sua Família

maio 30, 2016  - by 

Penny Stratton, Diretora de Publicidades para o New England Historic Genealogical Society, acredita que “passamos o bastão” para as gerações seguintes por meio de registrar as nossas histórias. Ao seguir esses passos, você poderá registrar as histórias de sua família para encantar e inspirar os membros da família presente e futura.

  1. Planeje o seu projeto. Decida o que você quer realizar, qual o período de tempo, e seu público. Comece pequeno se este é seu primeiro projeto, talvez apenas a história de uma única família ou um par de gerações. Você está escrevendo um livro, uma publicação informal, ou um artigo? Escreva um esboço e, talvez, uma tabela de conteúdos.
  2. Defina um formato e estilo que você gosta. Observe outras recordações já publicadas e histórias da família e então veja o que agrada a você e mantém o seu interesse. Alguns exemplos: Cinzas de Ângela (McCourt); Casa Vermelha (Messer); The Big House (Colt). O seu formato escolhido poderia  ser por exemplo o estilo “descendência” (o mais comum), que geralmente começa no passado com um casal que imigrou para um outro país e então você avança através dos anos para incluir seus filhos e famílias. Você pode escolher ainda o estilo “ahnentafel“, que normalmente segue a linha direta de casais do momento presente para o passado – como um gráfico de linhagem transformada em texto.
  3. Reúna seus materiais. Encontre registros físicos e eletrônicos (censo, ações, militares, imigração, testamentos, etc.), fotos, papéis da família, diários, cartas, bens preciosos, gráficos de árvore genealógica, entrevistas transcritas ou questionários dos parentes vivos, etc.
  4. Procure por temas. Crie uma timeline (linha do tempo) de um antepassado em um cenário de eventos locais e mundiais para destacar temas (guerra, política, imigração, a Depressão, etc.). Encontre temas sobre o lar e a família, patriotismo, fé, trabalho, adversidade.
  5. Escreva! “Basta colocar os dedos nas teclas e ir digitando! Vai ser empolgante e desafiador!”, garante Penny. Basicamente escreva na terceira pessoa (ele, ela), senão for algo seu mesmo. Inclua nomes completos e o que você souber sobre seus antepassados usando dados de suas fontes (datas, lugares, fatos) para embasar a sua história. Documente suas fontes de onde extraiu tais informações.
  6. Revise e enriqueça. Procure detalhar e contextualizar a sua história acrescentando conteúdo que enriqueça a compreensão das pessoas e dê vida a sua história. Verifique histórias regionais e municipais, sites genealógicos, jornais, diários, etc. Procure imagens: residências, postais antigos, mapas, fotos de lápides, etc. Não baixe ou use imagens sem a permissão adequada.
  7. Edite seu texto. Seja claro, focado, e conciso. Peça a uma outra pessoa para ler a sua história em voz alta.
  8. Coloque tudo junto. Coloque os seus recursos visuais juntos ou intercalados na história.
  9. Publique sua história. Você pode produzir um livro inteiro usando o Word ou outro editor de textos similar. Alguns serviços de edição incluem serviços e recursos acoplados para publicação online. Você pode ainda criar um blog seu para publicar e compartilhar estas coisas.
  10. Compartilhe e desfrute da sua criação. O que você escreveu será uma leitura atraente para a sua família, porque como você registrou isso, a sua história familiar vai ecoar de forma viva por suas gerações presente e futura.

Não se esqueça de adicionar as suas conclusões na Galeria on-line de Recordações do FamilySearch, e se preferir você tem ainda o aplicativo móvel Recordações FamilySearch para lhe ajudar nisto. São recursos fantásticos para a captura e preservação de fotos e histórias.

Tire um tempo para pensar sobre quais histórias você gostaria de começar a escrever e ser então aquele que passa o bastão de seu legado familiar para as gerações futuras. Se você não fizer isso, quem o fará?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários

  1. a arvore familiar nos remete a uma recompensa de termos registros de nossos antepassados, que nos conduz a nossos antecedentes e á nossa posteridade. grande legado.

  2. tenho convicção de que todos nós precisamos melhorar em utilizar as ferramentas disponíveis para divulgarmos todo o material disponível para todos os membros da igreja.